Incentivo de Colaboradores Programa de Mentoria Virtus Places

13 CONSELHOS PARA EMPREENDEDORES ENCANTAR SEUS CLIENTES

Deseja melhorar o atendimento aos seus clientes? Dê uma atenção especial aos seus colaboradores!

O ENCANTAMENTO de clientes é algo que todo empreendedor deve se preocupar,  pois um cliente encantado com o estabelecimento tende a comprar novamente e assim se torna fiel.

Mas o que muitos empreendedores não percebem é que para encantar os clientes os COLABORADORES do negócio devem estar alinhados com o pensamento da empresa e sua cultura empresarial.

Para isso, o empreendedor deve levar em conta alguns itens para que realize a verdadeira inclusão do colaborador no dia a dia da empresa.

O mantra do empreendedor deve ser: TODOS SÃO IMPORTANTES!

A INCLUSÃO é essencial por um motivo simples: quando todas as pessoas são importantes e sabem disso, elas chegam felizes ao trabalho e ficam ansiosas por retribuir com energia, criatividade e lealdade. O resultado é LÓGICO: mais produtividade, satisfação, menos abstenção e menos rotatividade. 

Por outro lado, quando não se sentem incluídas, elas se tornam apáticas e apresentam um desempenho inferior à sua capacidade, afetando, assim, a forma como ela representa o seu negócio e a forma como atende os seus clientes.

Dessa forma o empreendedor deve criar uma cultura de inclusão no seu negócio ou equipe aplicando observando os 13 CONSELHOS a seguir:

  1. Mostre aos seus colaboradores que todos eles são importantes. 

E se ESFORCE para que eles saibam realmente disso. O empreendedor deve ser um TUTOR de seus funcionários, pois não basta mantê-los contentes, é precisar criar, também, um ambiente que faça com eles se destaquem no são bons. 

Como um ótimo LÍDER, o empreendedor deve dar atenção a todos os membros do negócio e não somente aos clientes, os grandes empreendedores se preocupam com todos na organização, aumentando cada vez mais sua autoestima e autoconfiança dos colaboradores e funcionários.

Assim, a partir do momento que todos os colaboradores se sentirem reconhecidos, apreciados e valorizados, isso refletirá claramente em VENDAS!

2. Conheça seu time. 

Fazendo uma analogia com uma FAMÍLIA, se a pessoa tem filhos, primos ou sobrinhos, sabe a importância de tratar cada um de modo IGUALITÁRIO e fazendo com que a faça se sentir especial. 

O DIFÍCIL é que não existe um padrão de tratamento, pois a melhor maneira de fazer uma pessoa se sentir especial pode não ser a mesma forma de uma pessoa para outra. 

Dessa forma, o tratamento deve ser dado individualmente e para isso você deve conhecer REALMENTE o seu time para que consiga se relacionar com esse colaborador de forma exclusiva e não PADRÃO.

3. Permita que seu time te conheça. 

O empreendedor não pode ESQUECER que um ambiente de trabalho voltado para a INCLUSÃO também envolve o próprio EMPREENDEDOR. 

São muitos os EMPREENDEDORES que mantém distância dos funcionários, tanto física quanto emocionalmente. Realizam essas ações pois acreditam que não podem GERIR bem sem projetar uma imagem de PODER supremo e assim escondem sua humanidade, inclusive os pontos fracos. 

Mas, permitindo que o time o CONHEÇA de verdade, o empreendedor conquistará muito mais respeito e COMPROMETIMENTO.

4. Cumprimente os colaborares com sinceridade. 

Muitos empreendedores OBSTINADOS desprezam esse conselho, pois ele soa como algo um pouco romântico demais, mas a VERDADE é que muitos empreendedores ficam tão envolvidos com a rotina no trabalho e preocupados em projetar aquela imagem de poderoso que acabam passando pelas pessoas sem nem sequer CUMPRIMENTÁ-LAS ou PIOR, cumprimentam somente ALGUMAS pessoas.

LÍDERES que passam pelas pessoas como se elas fossem INVISÍVEIS tem que entender que os colaboradores PERCEBEM e CHEGAM a conclusões nada enaltecedoras sobre o pouco valor que o Líder lhes dá. 

Assim, nunca subestime o poder de um “OI” ou de uma paradinha para conversar um pouco, mas sempre de modo SINCERO, pois caso seja realizado de forma falsa, todos percebem na hora.

5. Tenha uma atenção a todos os membros do time. 

Logicamente, todos querem ser ouvidos e respeitados, é uma das necessidades humanas mais básicas, porém, OUVIR todos os membros do time não é fundamental somente para questões de autoestima e  autoconfiança, mas sim é uma FONTE de INFORMAÇÕES crucial para o empreendedor. 

Os grandes EMPREENDEDORES devem estar sempre cientes de que não sabem tudo e que DEVEM ir aprendendo à medida que avançam e têm confiança suficiente para escutar pessoas de todos os níveis da do seu NEGÓCIO. 

O resultado disso é  que passam a FAZER escolhas MELHORES e, assim, cometem menos erros, além de inspirarem mais comprometimento e obterem mais APOIO em suas decisões. 

Assim, levando todos os membros do time em consideração, o empreendedor se beneficia de uma variedade maior de perspectivas. e deixa claro que deseja SABER a opinião de todos, independentemente da função e do cargo, e quer que todos FALEM o que pensam. 

Por isso, o empreendedor deve PEDIR às pessoas que deem opiniões e ideias, mesmo que elas não se ofereçam para fazer isso.

6. Esteja sempre à disposição do seu time. 

O Empreendedor deve realizar todo o esforço possível para estar sempre a disposição quando os colaboradores precisarem dele. 

Os grandes EMPREENDEDORES estão sempre à disposição do seu time, por este motivo deve abrir espaço na agenda para quem pedir uma reunião, independentemente de sua posição na empresa. 

Muito empresários podem entender que uma atitude como essa os faça perder muito TEMPO, mas na verdade é CONTRÁRIO, pois faz economizar tempo, por ajudar a criar um ambiente mais PRODUTIVO e impedir a ocorrência de muitos problemas que poderiam ter exigido grande dedicação do empreendedor.

7. Ouça mais e foque em compreender. 

Somente ficar disponível não passa de um gesto vazio se você não OUVIR de verdade. Stephen Covey em “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes” diz: “Procure primeiro compreender, depois ser compreendido.” 

São muito os empreendedores que não conseguem se concentrar na pessoa com quem estão falando, pois a cabeça está em outro lugar e pensando em outra coisa e com isso a linguagem corporal praticamente está falando para a pessoa não falar mais. 

Assim, os grandes LÍDERES devem esperam até que as pessoas expressem suas ideias e tudo isso deve ser realizado com PACIÊNCIA, pois por muitas vezes, elas ficam nervosas e falam além do necessário e não conseguem chegar ao ponto importante. E acabam dando informações que o empresário já tem.

No entanto, é de fundamental importância que o empreendedor aguente firme, pois nunca se sabe quando uma ÓTIMA ideia pode surgir. Caso o empreendedor se distraia, corre o risco de perder o relato de algo útil ou de um problema crucial.

8. Comunique-se sempre de forma clara, direta e sincera. 

A boa comunicação se distingue por ser clara. Sempre deve ser usada a linguagem simples para que se diga exatamente o que é pretendido. Caso contrário, os COLABORADORES ficarão mais confusos do que antes e o resultado é que o que é recebido em troca é ineficiência e descrédito. 

Não deve ser feito rodeios pois sempre aumenta a confusão e não a objetividade. O empreendedor não deve GOURMETIZAR a comunicação, pois os colaboradores percebem e deixam de confiar no Líder.

Portanto, o empresário deve procurar se comunicar de forma direta e sincera. Desse modo, todos compreenderão o que ele quer que eles saibam e façam além de o ver como alguém confiável.

9. Cuide dos excluídos. 

O empreendedor deve ser ficar atento àqueles que, por algum motivo, se sentem excluídos, como um funcionário novo que esteja almoçando sozinho. 

O fato de alguém ser deixado de lado, não costuma estar associado à sua CAPACIDADE, mas o isolamento vai acabar AFETANDO o seu desempenho. 

Pode ser que o colaborador seja tímido e por isso encontra dificuldade em se expressar ou pode vir de uma cultura diferente e os colegas não se consideram preparados para se relacionar com ela. Há uma infinidade de motivos pelos quais alguém pode se considerar excluído no ambiente de trabalho, mas qualquer que seja a causa, no instante que o líder tomar conhecimento disso, deve adotar medidas para corrigir a situação. 

Sempre deve ser feito com que a equipe compreenda a importância de que todos ali, independentemente de raça, religião, sexo, orientação sexual a aparência física, se sintam incluídos.

10. Não ligue para a ordem da linha hierárquica.

Os dias de modo hierárquico vertical como meio de realização de negócios chegaram ao fim. 

Os líderes que continuarem administrando as atividades dessa maneira estarão condenados ao FRACASSO, pois uma estrutura de gestão RÍGIDA  exercida sempre de cima para baixo geralmente torna a comunicação muito mais lenta e transmitindo informações pouco confiáveis. 

Essa teoria se aplica, principalmente nas questões que envolvem sentimentos, que nunca são manifestados ou repassados da forma adequada numa estrutura hierarquizada. Isso não significa que os colaboradores não devam procurar primeiramente seus supervisores imediatos quando ocorrem problemas, mas um bom LÍDER tem que orientar qualquer membro do TIME, mesmo que ele não esteja sob sua supervisão direta.

11. Não centralize toda liderança em você.

Caso o empreendedor queira perder seus melhores colaboradores rapidamente, monitore-os o tempo todo e tome decisões no lugar deles. Por outro lado, se quiser ser um GRANDE LÍDER, aprenda a dar mais LIBERDADE. 

O empreendedor devem contratar sempre ótimos profissionais, explicar quais são as suas responsabilidades, o seu nível de autoridade e comprometimento e deixe-os TRABALHAR, o resultado será muito melhor.

12. Crie a cultura da empresa. 

Cultura corporativa é “o sistema de valores e crenças de uma organização que motiva ações e comportamentos e influencia relacionamentos.” Dessa forma, o negócio SEMPRE tem uma CULTURA, não importa se o empreendedor a reconhece ou não. 

Portanto, a questão não é se o negócio tem ou não uma CULTURA mas de que tipo ela é. Deve ser analisado se ela trabalha a FAVOR ou CONTRA o negócio.  As culturas bem sucedidas são estabelecidas de forma planejada e não por acaso. Devem ser claras, bem definidas e ter propósitos.

13. Trate e Reconheça os funcionários como você quer que seus clientes sejam tratados e reconhecidos. 

Reconhecimento é a questão mais importante deste artigo pois existe uma correlação direta entre o modo como tratamos e reconhecemos o esforço dos colaboradores e a maneira como eles ATENDEM os clientes. 

Os Colaboradores reconhecidos através de ações públicas ou até mesmo com PRÊMIOS além de aumentar a sua PRODUTIVIDADE, foca, também na melhoria do atendimento ao cliente de forma natural.

Para os colaboradores estarem sempre preparados para satisfazer algumas expectativas dos clientes, o empreendedor deve:

  • Fazê-lo sentir especial;
  • Tratá-lo reconhecendo a sua importância;
  • Tratá-lo com Respeito;
  • Qualificá-lo sempre;
  • Reconhecer suas conquistas;

Assim, se o empreendedor atender esses itens, fará com que a autoestima e a confiança dos colaboradores se multiplique e atuem de forma profissional e dedicada. E todo empreendedor já sabe o que isso proporciona: BONS RESULTADOS NOS NEGÓCIOS E CLIENTES ENCANTADOS.

Paulo Carpegiani

Paulo Carpegiani é advogado e empreendedor. Formado em Direito, iniciou sua caminhada empreendedora em 1999, criando empresas na área de energia elétrica (Consultoria, Comercialização e Geração) e gestão do conhecimento. Atuou, também como advogado focado em relações de consumo, direito de energia elétrica e direito empresarial. Foi professor universitário nos cursos de Direito e Administração de Empresas.

Tendo em vista as necessidades de conhecimento na área de gestão realizou diversos cursos na área de gestão de empresas, empreendedorismo, mas o maior conhecimento foi adquirido na prática, ou seja, no dia a dia empreendedor, onde nem tudo foram flores, mas que proporcionou um crescimento pessoal e prático muito grande.

Assim, segue um resumo de sua qualificação: Advogado em Direito Empresarial e Energia com conhecimentos em Gestão do Conhecimento e Gestão Empresarial, Empreendedor na área de energia elétrica, gestão do conhecimento, loyalty e sistemas colaborativos, MBA - Direito Empresarial FGV, Curso de Gestão Empresarial, realizou o Seminário Empretec Sebrae (Empreendedorismo), Especialista em Direito Econômico, Especialista em Relações de Consumo e detém amplo conhecimento em Tecnologia, Direito Internacional, Gestão do Conhecimento, Loyalty, Energia e Pesquisa.

Adicionar Comentário

Clique Aqui Para Comentar